As redes sociais têm políticas de anúncios rigorosas para quem vende artigos eróticos com foco no prazer. Isso faz muita gente se afastar da possibilidade de cogitar fazer anúncios de produtos sex shop nas redes sociais.

Anúncios produtos sex shop nas redes sociais

As redes sociais disponibilizam uma categoria de anúncios para maiores de 18 anos, mas não é tão simples como parece.

Quando se trata de artigos para proteção de sexo seguro ou serviços de saúde sexual reprodutiva e bem-estar, como camisinhas, contracepção e planejamento familiar é ok e eles são liberados seguindo as diretrizes de anúncios.

No entanto, quando não existe o apelo de sexo seguro, os anúncios de produtos sex shop com foco no prazer nas redes sociais não são permitidos.

Portanto, não é possível promover qualquer produto para satisfação sexual, com apelo no prazer e foco em nudez em qualquer aspecto, seja através de texto, vídeo, imagem, live ou qualquer forma de publicação no Facebook e Instagram. A mesma política segue para Twitter e Pinterest.

No entanto, segundo a página de diretrizes do Facebook, é possível fazer anúncios de lubrificantes com foco em bem-estar feminino para maiores de 18 anos, por exemplo, mas seguindo as diretrizes, ou seja, sem imagens de pessoas sem roupas, insinuação, etc.

Estudo de caso: Lioness e o vibrador tecnológico

A marca americana Lioness conseguiu fazer um anúncio envolvendo um vibrador no Instagram e Facebook.

A empresa fez um vídeo de uma pessoa lendo opiniões positivas enviadas sobre o produto. O objetivo era gerar cliques para sua campanha de crowdfunding para conseguir dinheiro e dar início ao lançamento de um vibrador tecnológico que mostra dados detalhados do orgasmo através de um aplicativo.

No texto do vídeo, eles não mencionaram o vibrador. Eles colocaram uma pergunta simples: Como você sabe que está fazendo algo que impacta outras pessoas?

Uma mulher de roupas comuns foi filmada em um cenário simples (um canto com janela) e lia o conteúdo da carta usando apenas uma câmera. No vídeo, eles destacaram as frases mais impactantes. Uma delas dizia: ’’Apenas…obrigado por existir…’’

O anúncio era leve, as respostas engraçadas e o assunto foi tratado de forma subjetiva. Essa campanha acabou viralizando e a empresa conseguiu o dinheiro que precisava. Além disso, o anúncio não apontava para o link da loja, mas de um canal de YouTube da empresa sem conteúdo explícito que direcionava para a loja apenas nas descrições dentro de um vídeo específico.

Conclusão

Esse exemplo foi uma exceção, pois envolveu criatividade em contornar as diretrizes para anúncios de produtos de conteúdo adulto com toques de publicidade. Por trás da estratégia trabalhou um time para escrever o roteiro, entre outros.

Além disso, o produto tinha seu diferencial, pois não era qualquer vibrador. Nesse caso, a empresa não queria apenas fazer um anúncio para vender um produto, mas arrecadar fundos para fazer a produção comercial com foco no bem-estar feminino, ou seja, ajudar as mulheres a ter mais orgasmos.

Caso contrário, para uma empresa que queira apenas aumentar as vendas de seus produtos sex shop e tem uma loja com mais opções, outras estratégias para alavancar o negócio são válidas.